Página Inicial

Facebook anuncia queda de usuários mais jovens

04/11/2013

O Facebook registrou queda de usuários mais jovens no terceiro trimestre do ano. A declaração foi dada pelo diretor financeiro (CFO) David Ebersman, na conferência de resultados da empresa.

O executivo disse na apresentação que houve uma queda no número de usuários do Facebook que acessam a rede diariamente entre os mais jovens, apesar de apontar que o uso da rede social por adolescentes americanos em geral ficou estável entre o segundo e o terceiro trimestre.

Leia também: Facebook não entrega o que promete em ações de marketing, diz Forrester

Porém, Ebersman ressalta que o impacto do dado é questionável, pois a autodeclaração de idade entre os mais jovens não é confiável, e lembra que o engajamento da rede social “permanece forte”.

Em nota, o Facebook no Brasil aponta que a queda parece ser pequena, já que está baseada em um grupo muito pequeno dentro da faixa etária de jovens.

Para Felipe Wasserman, professor do Centro de Inovação da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), o Facebook, apesar de ter uma grande base de usuários, passa por um ciclo natural de todas as redes sociais. “A rede social cresceu e deixou de ser novidade. Geralmente, os jovens são os primeiros a mudar. Portanto, esse movimento tende a ser ampliado”.

O movimento, cita Wasserman, acontece mais entre usuários com 12 a 14 anos, mas pode atingir jovens de até 20 anos. Porém, o professor da ESPM ressalta que deve demorar a acontecer no Brasil. “É uma realidade nos Estados Unidos e Europa. No País, ainda há espaço para a rede crescer entre os jovens”.

Cabe à empresa saber como manter este usuário, diz o professor. “A rede cresceu tanto que os usuários começam a pensar se querem se comunicar com tanta gente, e acabam optando por utilizar novas redes”.

Leia também: Denúncia de espionagem na internet coloca em xeque futuro das empresas

Para Carlos d'Andréa, professor do departamento de comunicação social da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), ser a rede mais usada não é uma garantia. “Em uma rede social, se usuários começam a migrar, isso facilmente pode virar uma avalanche. Isso porque o usuário não encontra uso para ela se os seus amigos deixam de usá-la.”

Se renovar constantemente para manter a base de usuários não é o maior desafio da rede social, mas, sim mostrar retorno financeiro para marcas e investidores, na análise de Wasserman. “A plataforma pode se beneficiar com um público com mais idade. Apesar de terem menos amigos, interagem mais e são fiéis. O problema é que, com relação ao retorno financeiro, especialmente no curto prazo, a empresa ainda gera mais dúvidas que certezas.”

Funcionários do Google contam o lado ruim de trabalhar na empresa

04/11/2013

Muitos consideram o Google como a melhor empresa para se trabalhar, menos que já está na empresa. De acordo com uma reportagem do site "Business Insider", funcionários e ex-empregados da gigante de tecnologia usam o fórum Quora, em que publicam mensagens anonimamente, para contar os "podres" da companhia. Não é possível, contudo, saber se as mensagens são realmente de funcionários da empresa.

De acordo com as publicações no Quora, uma dos principais problemas de se trabalhar no Google é que todos os funcionários são superqualificados para o trabalho que a empresa forneceu.

Eles reclamam, dizendo que o Google tem um patamar muito alto na hora de contratar pessoas e usa sua reputação para contratar os profissionais de maior qualidade, mesmo que seja para colocar em uma área que não exige tanta qualificação. "Há estudantes que estão entre os 10 melhores em suas faculdades que estão trabalhando no suporte do Google Ads - produto de anúncios da empresa -, na remoção manual de vídeos ilegais do YouTube e outros trabalhos mais simples", publicou um dos usuários no site.

O clima de startup que o Google ainda cultiva é alvo de reclamações e as mensagens também afirmam que os engenheiros da empresa, em sua maioria homens, são muito arrogantes e que não é possível conversar sobre nenhum assunto com eles. Os funcionários dizem que ninguém no Google tem noção de design, apenas de programação, o que torna os produtos da empresa muito feios.

As mensagens reclamam também que, a não ser que a pessoa crie algo muito importante sozinha, não é possível deixar uma marca como um indivíduo na empresa. "Se você não criar nada incrível, será apenas o óleo que vai lubrificar as engrenagens da máquina do Google", diz uma das mensagens. A empresa também tem pouco espaço para novos funcionários e gerentes de projeto dividem salas pequenas, prejudicando a concentração.

A liberdade que o Google dá aos seus funcionários, elogiada por quem vê a empresa de fora, é um dos pontos das reclamações. As mensagens descrevem que os funcionários bebem a qualquer hora do dia, brincam demais e trabalham de menos.

Até o momento, o Google não se manifestou sobre as mensagens de supostos funcionários e ex-funcionários da empresa no fórum do Quora.

Veja +

54 3221.1221     Veja no mapa

Rua Ernesto Alves, 2675  -  Bairro São Pelegrino
Caxias do Sul  -  RS  -  95020-360

Conheça a JDB Utilitários Facebook
Digital Feeling - Estúdio de Criação
WCM3 Agência Web - Criação e Desenvolvimento de Web Sites